Muito além das duas rodas

beach-bike google images

Muitas e muitas vezes fico quebrando a cabeça na hora de escolher um passeio para os pequenos da minha vida… Tento encontrar as mais variadas formas de diversão, desde um cineminha à tarde, passando por teatros, contadores de histórias, piqueniques no jardim e exposições. Mas o que realmente me deixa inquieta é a pergunta: eles vão gostar ou não?

Nesta semana tive a oportunidade de fazer as pazes com a bike! Sim, queridos leitores-amigos deste blog, me entreguei ao passeio de duas rodas (não motorizada) e posso afirmar que a experiência foi muito além das duas rodas. (Vale lembrar que o tema das bikes está em discussão recorrente por toda a São Paulo e levanta questões importantíssimas, como a mobilidade, o meio ambiente e claro, as leis que envolvem todos os meios de transporte, porém neste post quero apenas me atentar à simplicidade que esse passeio nos oferece.) 
Acontece que de maneira bem espontânea seguimos a ciclovia que beira a praia, e em meio a risadas e teste de equilíbrio constante, começamos a fazer parte daquele cenário e com isso aquele sentimento de “eu pertenço e sinto este lugar” reviveu naquele instante e assim nos divertimos, e muito!

google images

Pedala daqui, pedala de lá
O descanso também faz parte do passeio de bike (ufa!), ele não só nos permite recuperarmos o fôlego e bebermos água, como também nos traz um assunto, algumas perguntas e muito, muito “olhar de mundo”! E por olhar de mundo me refiro àquele olhar que não só vê mas que também repara.
Perceber o mundo é um exercício que muitas vezes nos falha enquanto adultos. Já nas crianças… Bem, as crianças parecem estar cientes de tudo o que se passa ao redor delas e é daí que surgem as famosas frases de mães: para de olhar pro moço! ou perguntas do tipo: por que ela anda assim, mãe?
E são em momentos assim que podemos aproveitar um simples passeio de bike para exercitarmos esse olhar de mundo em nossos pequenos; ajudá-los a refletir sobre o que acontece ao nosso redor, rir das trapalhadas que fizemos na curva anterior e perceber o mundo e todos os pequenos-grandes universos que cercam cada um de nós.
O mais engraçado é que em um dos momentos em que paramos para descansar, percebi o quanto este olhar sem julgamento, apenas percepção foi se transformando ao longo da minha existência; escutar uma criança comentando o que ela vê e escuta enquanto descansa é uma das coisas mais engraçadas que podemos experenciar e com isso, a criança que ainda mora em nós volta à vida.
A bike é a extensão de nosso corpo!
Afirmar que a bike acaba sendo a extensão de nosso corpo enquanto passeamos, parece exagero mas realmente não o é. É uma mistura de liberdade e conexão com o todo que a cerca (sim, agora compreendo todos os bikers que trocaram seus carros pelas magrelas e me dizem que não se arrependem nem um pouco).
Além desse mix de emoção e de nostalgia, compartilhar um passeio de bike com uma criança é com certeza uma das provas de que é na simplicidade de nossos dias que encontramos o belo, a harmonia com eles e as muitas risadas e tombos que teremos pela frente. Portanto, são em passeios assim que ensinamos/compartilhamos noções de respeito ao espaço do outro, algumas leis da física, os cuidados com nossos pertences, o contato com a natureza, o olhar que repara e percebe o mundo e a mobilidade e facilidade que envolve um passeio de bike. Viu só? Passear de bike é simplesmente incrível!
Então, bora pedalar?
Quero saber mais:
Ah! Nos próximos posts vamos trazer dicas de passeios e atividades para as férias! E você? Quer compartilhar alguma aventura que teve com seus pequenos?
Comente aqui ou nos escreva! =) 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *